|Concert Reviews|

TRISTESSE CONTEMPORAINE – INDOURO FEST – 1ºDIA



Narumi Omori, Michael Giffs e Jakob Leo Helden, são os Tristesse Contemporaine, uma banda de diferentes raízes (Narumi é japonesa, Maik (Michael) é inglês e Leo (Jacob) é sueco), que se congrega na capital francesa Paris. Apesar de viverem em França a sua língua é o inglês.
O seu som, que mistura elementos da eletrónica e do rap no seu coldwave, mas que os próprios definem como uma mistura de punk, tango e psicadélico, foi o verdadeiro ponto alto da noite. As várias centenas de pessoas que lutavam contra a chuva na Serra do Pilar esperavam a banda parisiense, que também esteve prestes a ser cancelada, mas que conseguiu chegar a Portugal, num processo que com viagens e esperas demorou 11 horas, facto contornado pela organização do estreante festival e que foi muito aplaudido pelo público.



















O trio francês fez um concerto em que revisitou os álbuns editados em anos anteriores: o álbum homónimo de 2012 e o segundo longa duração Stay Golden, editado em 2013. Um dos pontos altos do concerto foi mesmo uma música que não pertence aos maiores êxitos dos franceses: "I Do What I Want" é uma faixa que pertence ao segundo álbum da banda, mas que teve um EP lançado em 2014 apenas com versões e remixes da referida canção (à semelhança do que aconteceu com um dos singles de Stay Golden: "Fire", cujo EP do mesmo nome foi lançado em 2013).

Quando os Tristesse Contemporaine começaram a tocar "Hell Is Other People",  música pertencente ao seu primeiro álbum, não se previa o entusiasmo que o público lhe atribuiu, apesar deste ser um dos maiores êxitos dos franceses. A música é das mais melancólicas do trabalho dos franceses (também devido à voz relaxante de Maik), mas foi tão bem recebida pelos fãs que alguns trauteavam a letra da canção.
"Daytime Nightime" foi o último ponto de grande destaque do trio. O electro-rap desta canção, que teve uma versão prolongada, encantou os presentes na Serra do Pilar, que por momentos esqueceram a chuva, que já se fazia sentir com alguma força, e o cancelamento dos cabeça-de-cartaz Clinic. 


Fotografia: Francisco M Soares (https://www.flickr.com/photos/franciscomoraissoares)
Texto: Eduardo Antunes

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.