Artigos Glass Journal

Vodafone Paredes de Coura |3º Dia|




Ao terceiro dia de festival, voltamos a fazer o exercício de escolher alguns dos artistas que achamos que se irão destacar neste dia. E eles são:

Allah-las, quarteto de Los Angeles, California, formado em 2008, mas que parecem ter mais de 50 anos de carreira, devido à sua sonoridade à anos 60, com uma postura um pouco surf-rock e garage.





Waxahatchee ou Katie Crutchfield chega a Paredes de Coura com dois álbuns muito bem sucedidos. American Weekend, álbum de estreia editado em 2012, mas principalmente Ivy Tripp, editado já este ano, preencherá o alinhamento do seu concerto.






Charles Bradley teve um percurso musical diferente do habitual, alcançando o êxito numa idade mais avançada, depois de experiências como Black Velvet e como sósia de James Brown, tendo um percurso com alguns pontos em paralelo com Sixto Rodriguéz. Com os seus Extraordinaires fará um concerto soul com muita emoção.






The War On Drugs, com o álbum Lost In a Dream, editado no ano passado, a banda liderada por Adam Granduciel foi colocada num alto patamar da indústria musical não comercial, o que lhes valeu esta presença no Vodafone Paredes de Coura como cabeças-de-cartaz, depois de um concerto na edição de 2014 do Nos Alive, em que arrebataram um Palco Heineken a rebentar pelas costuras.





Tanlines, duo de Brooklyn que atuará já em after-hours deste terceiro dia de festival. A sua eletrónica contagiante com traços do indie pop remete-nos para nomes como Battles e Citizens, sendo de esperar um concerto a surpreender os mais céticos.





Textos: Eduardo Antunes

Sem comentários:

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Com tecnologia do Blogger.